Dilma está tranquila sobre popularidade, dizem ministros

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse neste domingo (30) que a presidente Dilma Rousseff e o governo federal estão "tranquilos" com o resultado das pesquisas do Instituto Datafolha, que apontam para uma queda brusca tanto na popularidade de Dilma quanto nas intenções de voto na presidente para as eleições do ano que vem.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

30 Junho 2013 | 18h29

"Ela está tranquila com o quadro e todos nós estamos tranquilos. Nós sabemos que isso aí não é um problema exclusivamente do governo federal", comentou Paulo Bernardo, ao deixar o Palácio da Alvorada, onde participou de reunião com a presidente e outros ministros. Perguntado se a queda na popularidade da presidente seria passageira, Bernardo respondeu: "Não posso fazer essa adivinhação".

Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que também se reuniu com Dilma no Alvorada, a presidente está "bem" e "sensível" à mensagem que vem das ruas. "Não só o governo federal como a presidenta Dilma têm demonstrado que o Brasil é um País democrático, onde tem manifestação. O governo e a presidente Dilma buscam reagir, construir, absorver as propostas e dar alternativas", disse Padilha.

Sobre os problemas na Saúde - área apontada como o maior problema do País por 48% dos brasileiros ouvidos pelo Datafolha -, Padilha disse que os resultados são um "grande desafio" para as três esferas de governo - municipal, estadual e federal.

"Às vezes tem até hospital, mas o atendimento tem de ser mais humanizado, com mais qualidade. A resposta que o governo federal está buscando construir é esse pacto pra acelerar investimentos já contratados, identificar mais hospitais que podem ser construídos, mais unidades de saúde", afirmou o ministro.

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseff popularidade Datafolha

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.