Dilma escapa para almoçar

Presidente tentou despistar jornalistas para que pudesse almoçar reservadamente em Nova Iorque, mas o plano não funcionou

Tânia Monteiro, enviada especial, Altamiro Silva Júnior, correspondente, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2015 | 15h52

NOVA IORQUE - Não deu certo a estratégia da presidente Dilma Rousseff de sair escondida por uma porta reservada de seu hotel para almoçar, sem que fosse descoberta por jornalistas. Depois de conceder entrevista falando sobre o encontro que teve pela manhã com integrantes do G-4, Dilma foi para um restaurante na 49th, esquina com 3ª Avenida, em Nova Iorque, onde almoçou com os ministros das Relações Exteriores, Mauro Vieira, e da Advocacia Geral da União, Luiz Inácio Adams, e seu assessor internacional, Marco Aurélio Garcia. Na hora de sair do restaurante, ao saber que a imprensa estava no local, Dilma saiu por uma porta lateral, especialmente aberta para ela, pegou uma van e foi embora.

Todo um esquema de despiste foi montado pela segurança presidencial brasileira para permitir que Dilma pudesse almoçar longe dos olhos da imprensa. Dilma pede sigilo absoluto de seus "compromissos particulares" e não gosta quando algo não sai como o planejado. Na sexta-feira à noite, 25, Dilma já havia dado uma escapada ao passar em uma loja Duane Reade, quando saiu do coquetel que compareceu na ONU, no final do dia. Ela queria comprar uma luva para pedalar.

Pela manhã, Dilma acordou muito cedo e pouco depois das 6h já havia saído para caminhar no Central Park. Não é a primeira vez que, em Nova Iorque, a presidente dedica as manhãs, antes dos compromissos de trabalho, às tradicionais caminhadas no parque.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.