André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Dilma elogia propostas de Renan e convoca reunião para discuti-las

Líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, diz que avaliação da presidente sobre lista feita por presidente da Casa foi 'muito positiva' e que chamou para encontro com líderes na quinta-feira a fim de debater 'questões de interesse do País'

Rafael Moraes Moura e Lisandra Paraguassu, O Estado de S. Paulo

11 de agosto de 2015 | 11h18

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff decidiu convocar uma reunião para a manhã desta quinta-feira, 13, para discutir ponto a ponto a lista de 27 propostas legislativas apresentadas pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que visa superar o "caos político" e retomar o crescimento econômico.

De acordo com o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), Dilma fez uma avaliação "positiva, muito positiva" das propostas, em um breve comentário durante o jantar da noite de segunda-feira,10, com senadores da base aliada no Palácio da Alvorada.

"É uma pauta positiva a favor do Brasil. Tínhamos de ter uma proposta pós-ajuste fiscal e é isso que a gente estava debatendo há muito tempo. Ela (Dilma) gostou e chamou a gente para uma reunião de manhã no Alvorada, só com alguns líderes, para debater essas questões e outras de interesse do Brasil", comentou Eunício Oliveira ao Broadcast Político, ao chegar ao Planalto para o lançamento do programa de investimento em energia elétrica.

O pacote de propostas foi entregue ontem por Renan, Oliveira e o senador Romero Jucá (PMDB-RR), aos ministros Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento), Edinho Silva (Comunicação Social) e Eduardo Braga (Minas e Energia).

De acordo com o líder do PMDB no Senado, a presidente pediu que o vice-presidente Michel Temer e o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, acertassem a lista de participantes da reunião de quinta-feira. Dilma decidiu encampar o pacote de propostas para reverter a crise econômica, emplacar uma agenda positiva e afastar a ameaça de impeachment. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.