Dilma elogia desenvolvimento do interior do País

A presidente Dilma Rousseff elogiou o desenvolvimento do interior do País, que, segundo ela, é hoje uma das áreas mais dinâmicas da economia brasileira. Ela advertiu, porém, que é importante que o desenvolvimento econômico se transforme em progresso social. "Não podemos pensar que desenvolvimento é apenas o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto)", disse a presidente, ressaltando que é importante que o desenvolvimento traga também o aumento da renda, da oferta de emprego e da melhoria da educação do brasileiro. Dilma está em Rondonópolis para a inauguração do trecho da Ferronorte que vai ligar a cidade a Itiquira.

JOSÉ ROBERTO CASTRO E RENAN CARREIRA, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 14h17

Para a presidente, é estratégico que haja empresas médias que se tornem grandes na área ferroviária. "Aqui (em Mato Grosso) vejo grande potencial. Não só pelo trecho ferroviário, mas pelo que esse trecho permite de construção de um complexo intermodal", afirmou ela, acrescentando que um complexo modal é um local onde se criam emprego e renda.

A presidente ressaltou o fato de o governo federal ter incluído toda a BR-163 no Programa de Investimentos em Logística. "A BR-163 é crucial para a integração de modais", afirmou. Dilma afirmou que a questão ferroviária no Brasil foi sempre mal resolvida. Segundo a presidente, o Brasil está correndo atrás para eliminar a imensa fragilidade da estrutura logística do País. "O Brasil é grande e diversificado e nos obriga a aceitar todas as soluções possíveis sem preconceito", afirmou.

Falando sobre a estrutura logística do País, Dilma prometeu encurtar distâncias, reduzir custos e melhorar a vida de todos. "(A ferrovia) Vai facilitar escoamento, recebimento de insumos e permitir um grande desenvolvimento aqui em Rondonópolis", disse Dilma.

A presidente falou ainda sobre como a melhoria do sistema logístico vai favorecer o agronegócio local. Dilma afirmou que a ampliação dá respaldo para o desenvolvimento e para o crescimento do Brasil, já que, em sua avaliação, o setor é um dos principais fatores dinâmicos do PIB e da balança de pagamentos.

Mais conteúdo sobre:
DilmaRondonópolis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.