Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Dilma e Serra se encontram em festa de amiga em comum no Rio

Tucano afirmou que teve conversa cordial com ex-ministra, que afirmou ter gostado de encontrar Serra

24 de abril de 2010 | 23h15

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S. Paulo

 

RIO- Os pré-candidatos a presidência Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) encontraram-se neste sábado, 24, no aniversário de uma amiga em comum, a economista Maria da Conceição Tavares.

 

Os dois foram alunos de Maria da Conceição e foram à festa de 80 anos da professora, em um clube da zona sul do Rio. Serra chegou às 20h45 e, Dilma, às 21h20. Eles sentaram-se à mesma mesa, a da aniversariante.

 

"Foi uma conversa normal, cordial", disse Serra. Conceição reuniu cerca de 70 convidados para um jantar.

 

Estavam presentes, entre outros, o ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, o ex-deputado federal Vladimir Palmeira, o sociólogo Emir Sader, a ministra-chefe da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres Nilcéia Freire e a ex-deputada Jandira Feghali, além de muitos economistas, professores universitários e funcionários do BNDES.

 

Embora a festa tenha reunido muitos petistas, a começar pela própria aniversariante, Serra fez questão de abraçar a amiga com quem conviveu nos tempos do exílio no Chile.

 

O ex-governador levou um buquê de rosas brancas para a economista. Ele saiu da festa um pouco antes das 22 horas. Sobre Maria Conceição Tavares, disse que tem por ela uma "amizade à prova do tempo e de qualquer diferença".

 

O ex-governador disse que as divergências políticas nunca o afastaram de Maria da Conceição Tavares "nunca discutimos, você acredita? Nunca analisamos política em nossas diferenças, se é que existem".

 

Antes de entrar no carro, Serra elogiou a boa disposição da aniversariante: "quero chegar na idade dela do jeito em que ela está."

 

Uma hora depois, a ex-ministra deixou a festa. Disse que "foi muito bom encontrar o Serra" e, como o ex-governador, falou em uma relação cordial entre os dois. Dilma contou que a festa teve uma apresentação de danças típicas portuguesas e que arriscou alguns passos do vira.

 

"Foi muito agradável, reencontrei muitos conhecidos. Gosto muito da Conceição, que foi minha professora na Unicamp. Foi uma festa em que ela reuniu amigos da vida inteira. Fez muito bem para o espírito", disse a pré-candidata do PT. A festa foi fechada à imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.