Dilma e Serra assistem ao desfile do Galo da Madrugada

Principais pré-candidatos à presidência fizeram corpo a corpo no maior bloco de carnaval do mundo

estadao.com.br,

13 Fevereiro 2010 | 14h09

 

 

 

 

Veja também:

linkCandidatos usam o carnaval para 'legitimação social'

 

 

Os dois principais pré-candidatos à Presidência da República, a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef (PT), e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), assistiram neste sábado ao desfile do Galo da Madrugada, o maior bloco de carnaval do mundo. Dilma estava acompanhada do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) e do governador Eduardo Campos (PSB-PE). Já Serra, que chegou do carnaval de São Paulo de madrugada, descansou no hotel Atlante Plaza, na praia de Boa Viagem, e às 11horas seguiu de ônibus para o desfile do Galo, acompanhado dos senadores Jarbas Vasconcelos (PMDB), Sérgio Guerra (presidente do PSDB) e Marco Maciel (DEM), além do governador de Alagoas Teotônio Vilela, do deputado federal Jutahy Magalhães (PSDB), entre outros políticos. 

 

Depois de ter feito um corpo a corpo acompanhando no chão a multidão que no blocoa, o governador José Serra sai agora para o aeroporto em direção a Salvador. "Estou felicíssimo", disse ele, afirmando que o carnaval de rua de Pernambuco é imbatível. Ele ficou satisfeito com a receptividade da população, embora tenha afirmado não ter ouvido alguns populares, que gritaram Dilma à sua passagem.

 

Ele disse não ter sentido medo da multidão. "Nunca tenho medo do povo". Serra caminhou cerca de 150 metros do ônibus até o camarote, tendo boa receptividade. Várias pessoas o cumprimentaram, acenaram e chamaram pelo seu nome, enquanto outros gritaram o nome de Dilma. Quando chegou ao camarote, o desfile do Galo já havia saído há cerca de meia hora e ele não viu os carros alegóricos da abertura. No momento em que chegou, passava o trio com Fafá de Belém.

 

No camarote, ele falou com a imprensa pela primeira vez, evitando qualquer assunto relacionado à política. Indagado por um repórter se estava em campanha, Serra respondeu que se estivesse, pediria o voto dele.

 

Com informações de Ângela Lacerda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.