Dilma e Obama irão conversar na Rússia, diz Temer

O presidente da República em exercício, Michel Temer, acredita que a presidente Dilma Rousseff e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, irão se encontrar e conversar, em algum momento, durante a reunião do G-20, em São Petersburgo, na Rússia, da qual os dois estão participando. "Sei que há gestões nesse sentido (de a presidente Dilma conversar com Obama), é possível que venha a acontecer. Eles estão juntos lá no G20", declarou Temer, acrescentando que, portanto, "muito provavelmente", eles conversarão, "formal ou informalmente".

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

05 de setembro de 2013 | 16h25

Temer disse que não conversou com a presidente Dilma, acentuou que "está apostando" no entendimento entre os dois. "Os meios diplomáticos resolverão essa questão e a presidente saberá no momento próprio se deve ir a Washington ou não", comentou o presidente em exercício, sem querer opinar se Dilma deve ou não confirmar a viagem a Washington, em 23 de outubro, como represálias à espionagem feita pelo governo norte-americana ao País. "A minha torcida, digamos assim, é que haja uma solução diplomática para que não haja maiores embaraços entre Brasil e Estados Unidos", declarou o presidente em exercício.

Nesta quarta-feira, 4, a presidente Dilma determinou o cancelamento da viagem do escalão precursor a Washington, conforme antecipou o jornal O Estado de S. Paulo, em um sinal de repúdio à espionagem. O Brasil pediu explicações ao governo norte-americano e aguarda até esta sexta, 6, as justificativas, por escrito.

Tudo o que sabemos sobre:
espionagemDilmaMichel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.