Dilma e Alckmin vão anunciar Metrô até o ABC Paulista

Em mais uma demonstração da proximidade entre os governo federal e do Estado de São Paulo, a presidente Dilma Rousseff e o Geraldo Alckmin farão juntos o anúncio da linha 18 - Bronze do Metrô, que levará o Metrô às cidades de Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, no ABC. A ligação com a capital será feita a partir da estação Tamanduateí, da linha 10 da CPTM, que também está integrada à Linha 2 - Verde do Metrô.

ANNE WARTH, Agência Estado

23 de novembro de 2011 | 18h54

De acordo com o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, a cerimônia será realizada no mês de dezembro. Dilma e Alckmin já anunciaram juntos investimentos para o Trecho Norte do Rodoanel, Ferroanel e Hidrovia Tietê-Paraná. Também lançaram juntos o programa Brasil Sem Miséria, no Palácio dos Bandeirantes, e firmaram uma parceria para o programa Minha Casa Minha Vida, em que São Paulo se comprometeu a ceder terrenos para o programa federal. Além disso, o governo federal recentemente ampliou o teto da dívida de São Paulo para R$ 17 bilhões.

A linha 18 - Bronze do Metrô ligará a capital paulista ao ABC por meio de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). De acordo com o Metrô, a previsão é de que a linha tenha cerca de 20 quilômetros, 18 estações, quatro terminais integrados e transporte 400 mil usuários por dia. Não há previsão de início de obra.

Segundo Marinho, a prefeitura pediu que a linha se estenda até a Estrada do Alvarenga, onde seria a estação final. A linha cruzará com dois corredores de ônibus em São Bernardo do Campo que serão construídos na cidade - um ligará a Praça dos Bombeiros, Avenida Prestes Maia, Viaduto Tereza Delta, Avenida José Odorizzi e Estrada Samuel Aizemberg até a divisa com Diadema, e o outro corredor irá da Estrada do Alvarenga até o Largo do Piraporinha. Ao menos um deles será bancado com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana das Grandes Cidades.

Marinho afirmou que a prefeitura já investiu R$ 1,8 milhão para o projeto funcional da linha. As obras serão bancadas com recursos do governo federal e do governo de São Paulo. "É possível também que o projeto seja complementado, eventualmente, com recursos de uma Parceria Público Privada (PPP)", afirmou.

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou hoje que os projetos do Metrô e os dois corredores de ônibus estão em fase de análise pelo governo federal. "Estamos terminando as definições e esses empreendimentos têm grandes condições de serem encaixados, mas ainda não temos uma definição definitiva. Acredito que, no máximo, em meados de dezembro (a presidente Dilma) anuncie, como já anunciou os metrôs de Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
metrôDilmaAlckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.