Dilma e Alckmin elogiam parcerias entre SP e União

A cerimônia de lançamento do projeto do Centro Paralímpico Brasileiro, ocorrida nesta sexta-feira no Palácio dos Bandeirantes, se tornou um grande evento no qual a presidente Dilma Rousseff e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), enalteceram a parceria entre os dois entes da federação. O bom relacionamento político é um fato de destaque, justamente porque seus partidos, PT e PSDB, começam a trocar rusgas em nível nacional em função do início não oficial da campanha presidencial de 2014.

RICARDO LEOPOLDO, Agência Estado

25 de janeiro de 2013 | 19h41

O governador paulista destacou que esta era a terceira vez que a presidente Dilma o visitava no Palácio dos Bandeirantes, o que era sempre um motivo de alegria para ele. "Hoje celebramos mais uma grande parceria, de grande importância de natureza social. São Paulo é parceiro do Brasil. Conte conosco presidenta, parabéns.", afirmou Alckmin, no fim do seu discurso.

A presidente Dilma retribuiu a gentileza logo no início dos cumprimentos das autoridades e se referiu ao tucano como "governador de São Paulo, parceiro do governo federal, Geraldo Alckmin." Em seguida, no decorrer de seu pronunciamento, Dilma mostrou-se interessada em avançar o trabalho conjunto com o governo paulista. "Nós sabemos também que determinados desafios a gente consegue responder melhor quando o fazemos em conjunto, o fazemos juntos", disse. "E esse é um desafio que nós, governo federal, o Estado de São Paulo e a prefeitura de São Paulo, através do prefeito Fernando Haddad, juntamente com o Comitê Paralímpico, estamos fazendo juntos", afirmou.

"E estamos fazendo juntos para além do ano de 2016. Nós queremos formar uma geração de atletas de alto rendimento. E isto tem ainda mais um objetivo fundamental, que é demonstrar que o nosso País é um país comprometido com o direito das pessoas com deficiência", apontou Dilma.

Ela enalteceu a capacidade de São Paulo de ter construindo a principal cidade sem ter vínculos com o comércio exterior. "Por isso, eu acho muito importante, sempre que eu venho a São Paulo, reconhecer que aqui é um local de trabalho, de esforço e de empreendedorismo. É uma região onde, sem acesso ao ouro, sem a cana-de-açúcar naquela época se ergueu uma cidade através do esforço da nossa gente. Eu diria, através da garra da nossa gente", comentou a presidente.

"Por isso, para mim é simbólica São Paulo. São Paulo mostra que quando o Brasil se ergue sobre os seus próprios pés, se volta para si mesmo e também para os outros países do mundo, nós somos um país que faz acontecer."

Dilma enfatizou o bom entendimento que mantém com Alckmin. "Um país tem de trabalhar com metas e ambição. Por isso, querer um ótimo desempenho em 2016 tem de ser a ambição dos atletas paraolímpicos e dessa parceria, que considero uma parceria republicana e de alta qualidade, entre a União, o Estado que lidera a construção desse equipamento e a prefeitura", apontou a presidente.

O tom amigável de Dilma foi manifestado também pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e pelo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, aliados políticos da presidente. Haddad destacou que o Centro Paraolímpico Brasileiro é um "belo gesto da União e do Estado" em beneficio das pessoas portadoras de deficiência física. "Quero congratular o governador e a presidenta", disse.

Aldo Rebelo destacou a "união de esforços" de Dilma e Alckmin para a realização do Centro. "O governo federal, de São Paulo e a Prefeitura estão fazendo seu dever de casa."

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaAlckminOlimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.