Dilma diz ser legítima reivindicações dos Estados sobre dívida

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, classificou nesta quarta-feira como legítima a reivindicação dos governadores discutida na terça, na reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que os Estados pudessem encontrar no mercado uma solução para as dívidas estaduais. "Havendo alternativa de mercado, é legítimo que os Estados obtenham os ganhos relativos aos avanços macroeconômicos do País. Isso significa obviamente uma redução dos juros", afirmou a ministra.Na reunião na Granja do Torto, o governo concordou em abrir espaço para que os Estados troquem suas dívidas com a União (a dívida fundada) por dívidas com o sistema financeiro, com juros mais baixos - processo chamado de securitização. Também na reunião de terça ficou acertado que o governo proporá mudanças legais que permitam aos Estados leiloar créditos da dívida ativa no setor privado. Parte destes créditos poderia ser trocada por títulos do Tesouro adquirido por empresários.Para a ministra, é possível atender às reivindicações dos Estados sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Parceiro estratégicoDilma afirmou que o governo considera importante os dois grupos do PMDB. "Acredito que o governo tem no PMDB um parceiro estratégico seja o do Senado ou da Câmara. Ambos são cruciais para o governo do presidente Lula", disse. Ela se referia ao grupo do atual presidente e candidato à reeleição do PMDB, Michel Temer, e ao grupo do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, que desistiu da disputa, acusando o presidente Lula de interferir no pleito. A ministra evitou comentar o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.