Dilma diz que valor a ser liberado para emendas ainda está sendo discutido

O anúncio de que o governo aceita empenhar R$ 1 bilhão, feito pela ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, não deixou os políticos da base aliada satisfeitos

Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2011 | 17h59

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira, 16, que o valor a ser liberado para as emendas parlamentares ainda está sendo fechado. "Isso ainda está sendo discutido dentro do governo. Vocês saberão", disse a presidente, ao ser questionada se ela pagaria mais do que R$ 1 bilhão para as emendas, após cerimônia de cumprimentos aos oficiais generais promovidos.

 

Em reunião nesta terça-feira com líderes aliados, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, anunciou que seria empenhado R$ 1 bilhão de emendas dos parlamentares neste mês. O anúncio, no entanto, não deixou os políticos satisfeitos, pois eles querem muito mais.

 

O governo está conversando com a base aliada para acalmá-la e nesta terça-feira faz uma segunda rodada de negociações com PDT, PSB e PCdoB, às 19h, no Palácio do Planalto.

 

Corrupção. A presidente Dilma Rousseff foi ainda questionada se o desafio dela era o combate à corrupção. "Meu desafio neste país é desenvolver e distribuir renda. Esse é o meu desafio. O resto a gente tem de fazer por ossos do ofício", respondeu. Perguntada se os ministros continuavam com seu apoio e especificamente se os ministros da Agricultura, Wagner Rossi, e do Turismo, Pedro Novais, continuavam sendo apoiados, ela declarou: "Todos (têm meu apoio)".

 

Tudo o que sabemos sobre:
emendasdilmabase aliadacongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.