Dilma diz que vai indicar novo ministro da Educação "o mais rápido possível"

Desde a saída de Cid, o MEC vem sendo tocado interinamente por Luiz Cláudio Costa, que era secretário-executivo da pasta na época de Cid; ministério virou alvo de uma nova disputa entre o PT e o PMDB

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

24 de março de 2015 | 18h36

Brasília - Quase uma semana depois de o ex-governador do Ceará Cid Gomes (Pros) pedir demissão do Ministério da Educação (MEC), a presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira, 24, que vai nomear "o mais rápido possível" o novo titular da pasta. "É óbvio que não vai ficar com o interino", respondeu a presidente, diante da insistência de jornalistas depois de solenidade de assinatura da medida provisória que trata da política de valorização de salário mínimo de 2016 a 2019.

Desde a saída de Cid, o MEC vem sendo tocado interinamente por Luiz Cláudio Costa, que era secretário-executivo da pasta na época de Cid. O ministério virou alvo de uma nova disputa entre o PT e o PMDB.

O atual ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, tem tentado se cacifar para assumir o MEC, depois de a presidente Dilma Rousseff ter encomendado um plano de educação.

O plano preparado por Mangabeira abrange a elaboração de uma base curricular nacional e a implantação de escolas de excelência para a formação de professores e diretores. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.