Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Dilma diz que propor fim de ministérios é um 'escândalo'

"Tem gente querendo reduzir ministérios, um deles o da igualdade racial, outro o que luta em defesa das mulheres", disse a presidente

MARIANA SALLOWICZ E LUCIANA NUNES LEAL, Estadão Conteúdo

15 de setembro de 2014 | 18h52

A presidente da República, Dilma Rousseff, respondeu hoje críticas feitas por seus dois principais adversários na corrida presidencial - Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) - e considerou um "escândalo" a proposta deles de diminuição no número de ministérios.

"Tem gente querendo reduzir ministérios, um deles o da igualdade racial, outro o que luta em defesa das mulheres. Outro ministério que eles não gostam muito é o do direitos humanos, eles querem acabar com o ministério do empreendedorismo, da micro e pequena empresa", disse a presidente, em discurso durante visita a Central Única das Favelas (CUFA), no Rio.

Em uma resposta direta à candidata Marina Silva (PSB), que promete, se eleita, convidar "os melhores nomes" de cada partido político para seu governo, Dilma Rousseff afirmou: "Não acredito em governo dos bons, mas em governo referendado pelo voto popular." A presidente também disse que supor uma democracia sem partidos políticos é uma "invenção".

Dilma reagiu ainda à declaração de Marina de que o ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa foi indicado para o cargo "para assaltar os cofres" da estatal. "É uma fala que não é de muito alto nível, lamento aquela fala. De 12 anos (da gestão do PT), ela esteve oito anos no governo, como eu e outros ministros. Em qualquer lugar, em qualquer empresa, pode haver pessoas que fazem malfeitos e o que se tem que fazer é investigar", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesdilma rousseffCufa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.