Marcos D'Paula/Agência Estado
Marcos D'Paula/Agência Estado

Dilma diz que pesquisa reflete 'retrato passageiro e volátil'

Pela primeira vez, ministra aparece tecnicamente empatada com o governador de São Paulo, José Serra

Gustavo Porto, Carolina Freitas e Eduardo Magossi, da Agência Estado,

01 de junho de 2009 | 14h19

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta segunda-feira, 1º, que a pesquisa CNT/Sensus "reflete um retrato passageiro e volátil", ao comentar o desempenho dela nos levantamentos sobre a corrida eleitoral de 2010. "É um sobe e desce e ninguém pode nem achar bom e nem ruim", afirmou a ministra após participar da abertura do Ethanol Summit, em São Paulo (SP).  Pela primeira vez, a ministra e o governador de São Paulo, José Serra, aparem empatados na pesquisa espontânea na corrida à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Veja também:

link26,1% não conhecem ou ouviram falar de Dilma

linkAprovação do presidente Lula sobe para 81,5%, diz CNT/Sensus

linkCNT/Sensus: Pela 1ª vez, Dilma e Serra empatam

  

Serra tem 5,7% e Dilma 5,4% de intenções de votos. Já na pesquisa estimulada, o governador tem 40,4% e a ministra, 23,5% (um crescimento de 6,8 pontos porcentuais ante o levantamento anterior). O crescimento de Dilma já havia sido apontado na pesquisa Datafolha no final de semana.

 

Indagada se tinha cumprimentado Serra pela liderança nas pesquisas, já que ambos se encontraram no evento, Dilma desconversou: "Cumprimentei o Serra primeiro por ele ser governador de São Paulo, segundo porque é uma pessoa pela qual tenho toda consideração, por razões estruturais", disse Dilma, que repetiu o bordão sobre sua possível candidatura à sucessão de Lula. "Eu não falo nem amarrada".

 

Dilma disse também que se considera curada do linfoma, "como os médicos disseram" e que segue fazendo os tratamentos com quimioterapia. "De uma certa forma a doença me fez ficar, contraditoriamente, feliz comigo mesma", disse. "Estou me sentindo capaz de resistir, de enfrentar e, nesse sentido, estou mais leve", completou.

 

A ministra comentou ainda as manifestações de solidariedade que recebeu da população brasileira e considerou "fantástica a quantidade de cartas, medalhinhas, imagens de Nossa Senhora e até conselhos como tome própolis", afirmou. "Aconteça o que acontecer a gente fica extremamente sensibilizada.

Tudo o que sabemos sobre:
CNT/SensusDilma RousseffLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.