Dilma diz que não negocia nem flerta com inflação

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira que "não negocia nem flerta com inflação". Ela afirmou que o Brasil tem um histórico de combate e controle da inflação e que, em hipótese alguma, dará base para qualquer especulação que se faça sobre o assunto.

TANIA MONTEIRO E RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

23 Abril 2013 | 13h32

"Tenho obrigação durante 24 horas por dia de dirigir o Brasil. Eu não vou em hipótese alguma, porque tenho responsabilidade presidencial, dar a base para qualquer especulação que se faça. O que eu estou dizendo é isso: o Brasil não flerta com a inflação", disse a presidente ao conversar com jornalistas depois de abrir a exposição ''O Olhar que ouve, do músico Carlinhos Brown'', no Palácio do Planalto.

A presidente ainda ressaltou que o Brasil conseguiu atingir um patamar de estabilidade macroeconômica, inclusive do ponto de vista das contas públicas, quando comparado com situação internacional. Ela disse que não teve de fazer nenhum corte drástico como ocorre, por exemplo, nos Estados Unidos. "Temos uma relação Dívida-PIB das mais baixas do mundo. O Brasil hoje é uma economia robusta, isso não significa que os responsáveis não estejam atentos a todas as características da economia, aumento do investimento, olhar como se dá nossa necessidade", pontuou a presidente.

Mais conteúdo sobre:
Dilma inflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.