Pedro Vilela/Agência I7
Pedro Vilela/Agência I7

Dilma diz que inflação está sob controle e faz crítica a 'pessimistas especializados'

Presidente vai a Minas, reduto de Aécio, e afirma que ‘aqueles que fizeram racionamento em 2001 torcem para o Brasil dar errado’

Fernando Gallo e Aline Reskalla,

15 Abril 2013 | 23h37

BELO HORIZONTE - Fustigada por críticas à condução da economia, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, 15, que o Brasil tem “pessimistas especializados” em criar ambiente negativo. Em evento do PT em Minas Gerais, reduto eleitoral do senador Aécio Neves, pré-candidato tucano ao Planalto, disse que aqueles que “fizeram racionamento em 2001 torcem para o Brasil dar errado”.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fiador da presidente e do governo, disse que Dilma “não deixará que o tomate” - expoente máximo da inflação - “venha a quebrar a força da economia”.

A presidente assegurou que “a inflação está sob controle” e repetiu que o governo “não faz concessão” sobre a questão. Ela sustentou que pretende manter o nível de emprego e o aumento de renda da população. “Não fazemos concessão à inflação e sempre combatemos e combateremos a inflação, principalmente pelo mal que causa para trabalhadores e empresários. Corrói as rendas. Não abriremos mão desse controle”, afirmou Dilma, durante seminário sobre os dez anos de governo do PT no País.

No partido há um temor de que o aumento de preços possa vir a se transformar num problema eleitoral para o projeto de reeleição da presidente. “Repito: não fazemos concessão à inflação, mas para nós estabilidade não se confunde com recessão e nem desemprego, não se confunde com perda de direito dos trabalhadores. A construção da estabilidade fica mais forte com investimento e ampliação do consumo. Esse modelo é um modelo vitorioso”, disse ela.

A expectativa no mercado é que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central eleve os juros na sua próxima reunião como forma de combater a alta dos preços. Aécio, em recente entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, sustentou que a presidente é “leniente” com a inflação.

Dilma afirmou que há “pessimistas especializados” em “criar ambiente para aqueles que se beneficiam da incerteza e enriquecem no desequilíbrio”. Embora sem citá-los, referiu-se aos tucanos, justificando seus argumentos com base no racionamento de energia que o Brasil viveu em 2001. “Esses pessimistas especializados fizeram um racionamento de energia em 2001 e 2002. Eles vêm querendo que a gente passe por isso. Aliás, vêm querendo desde 2005. Essa é uma visão errada que torce pro Brasil dar errado. Porque o Brasil não deu certo quando eles eram dirigentes, e agora deu certo e dará certo.” Para Dilma, trata-se de gente “mais triste, menos lutadora”. Ela assegurou que “embora estejam querendo transformar os alimentos no tomate”, o índice de inflação da comida “está em queda”.

Título. Lula recebeu em BH o título de cidadão mineiro da Assembleia Legislativa. No evento que precedeu o encontro do PT, o ex-presidente afirmou que “o povo de Minas sabe mais do que ninguém por que e como sua vida melhorou”. Disse que os investimentos do governo federal no Estado desde 2003 foram “excepcionais”. Segundo ele, “os investimentos produtivos, as obras de infraestrutura e os programas sociais que o governo federal realizou em Minas contribuíram e muito para tornar mais digna a vida dos mineiros”. Lula sustentou ainda que a presidente Dilma - que nasceu em Belo Horizonte - está fazendo “mais e muito melhor”. Dilma, que havia agendado presença, acabou não comparecendo à homenagem ao padrinho e antecessor.

Na maior parte do discurso, o petista fez um histórico de sua relação com Minas.

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.