Roberto Stuckert Filho/PR
Roberto Stuckert Filho/PR

Dilma diz que governo não vai elevar 'indefinidamente' custo de ferrovia

Presidente admitiu imprevistos nas obras da Transnordestina, mas diz esperar conclusão até 2014

Angela Lacerda, de O Estado de S. Paulo

09 de fevereiro de 2012 | 15h12

PARNAMIRIM (PE) - Mantendo seu discurso de gerente, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira, 9, que o governo federal "não pretende ficar elevando indefinidamente" o custo da Ferrovia Transnordestina, atualmente orçada em R$ 5,4 bilhões. "A gente sabe que uma obra desse tamanho, dessa dimensão, tem sempre coisas não planejadas que ocorrem, mas hoje temos certeza de que o orçamento está bem próximo da realidade", disse ela, ao ver a colocação de dormentes nos trilhos da ferrovia no município de Parnamirim, a 561 quilômetros do Recife.

 

"O governo quer a obra realizada sem interrupções e o objetivo é concluir essa obra até o final de 2014", disse a presidente, depois de distribuir sorrisos, apertos de mão e posar para fotos ao lado de populares que assistiram ao evento. "Não há limites para o que faremos", prometeu Dilma, que reforçou que o governo irá tomar todas as medidas para o cumprimento desse prazo.

 

A conclusão da Transnordestina estava prevista para dezembro de 2012. A ferrovia terá 1,7 mil quilômetros de extensão e vai ligar o interior do Nordeste aos portos de Pecém (CE) e Suape (PE). São 10 lotes em Pernambuco, 11 no Piauí e 12 no Ceará. Com 35% do total da obra pronta, todos os lotes dos dois primeiros Estados (Pernambuco e Piauí) estão contratados. No Ceará, dois estão contratados e 10 em contratação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.