Dilma diz que governo apoiará cidades alagadas em SP sem olhar partido

A presidente sobrevoou as cidades de Francisco Morato, Franco da Rocha, Mariporã e Caieiras, na região da Serra da Cantareira

Eduardo Rodrigues, O Estado de S. Paulo

12 de março de 2016 | 18h22

Após sobrevoar pela manhã os municípios da grande São Paulo atingidos pelo forte temporal de sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff reafirmou há pouco via Twitter a oferta de apoio do governo federal às cidades afetadas, independentemente do partido dos governantes locais. 

"Fica claro que trabalhamos em parceria sem olhar diferenças partidárias. Sempre devemos nos unir diante das necessidades da população. Hoje mais uma vez mostramos nosso compromisso e solidariedade com a população da grande São Paulo", disse Dilma em seu perfil na rede social.

A presidente sobrevoou as cidades de Francisco Morato, Franco da Rocha, Mariporã e Caieiras, na região da Serra da Cantareira, onde ocorreram desmoronamentos e alagamentos devido às fortes chuvas de ontem. "Infelizmente 20 pessoas morreram e ainda há 5 pessoas desaparecidas", lamentou a presidente. 

Em Franco da Rocha, Dilma se reuniu com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), prefeitos, ministros, parlamentares e representantes das defesas civis municipais, estadual e federal. "Nossa política de prevenção e enfrentamento de desastres combina prevenção e aviso para evitar mortes com ações emergenciais de apoio a desabrigados e resgate de vítimas e reconstrução", acrescentou. 

Entre as ações voltadas para a população afetada pelo temporal, Dilma citou a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e prometeu prioridade para as famílias no programa habitacional do governo. "Vários residenciais do Minha Casa Minha Vida estão em construção na região. No Minha Casa Minha Vida damos prioridade ao atendimento das famílias desabrigadas ou que moram em áreas de risco", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.