Dilma diz que 'estratégia do medo' não leva a nada

Candidata do PT rebate críticas de Serra e diz que jamais censuraria a imprensa

Carolina Freitas, Agência Estado

21 de agosto de 2010 | 12h17

 

MAUÁ - A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, rebateu neste sábado, 21, as acusações de seu adversário José Serra (PSDB) de que o governo federal, do qual Dilma fez parte, teria como prática censurar a imprensa.

 

Veja também:

linkDatafolha apotna vitória de Dilma no 1º turno

especialVeja por onde passaram os candidatos à Presidência no nosso mapa

documento Veja página especial de Dilma Rousseff

documento Veja página especial de José Serra

documento Veja página especial de Marina Silva

 

"A estratégia do medo já mostrou que não leva a nada. Todas as tentativas de criar um clima de medo foram derrotadas quando Lula pegou a esperança na mão e derrotou o medo", afirmou em referência à eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002. A ex-ministra concedeu entrevista ao chegar para um comício de sua coligação em Mauá, na Grande São Paulo.

 

As críticas de Serra foram feitas na última quinta-feira, durante o 8º Congresso Brasileiro de Jornais, promovido pela Associação Nacional de Jornais (ANJ), no Rio de Janeiro. Em discurso, o candidato acusou o governo federal e o PT de tentarem, nos últimos anos, intimidar e censurar a imprensa, até mesmo por vias supostamente democráticas, como a promoção de conferências públicas para discutir temas como o controle social da mídia e de incentivar projetos de lei nesse sentido.

 

Dilma disse que nunca censuraria a imprensa por ter "vivido na pele" a ditadura militar. "Sou da época que, se vocês escrevessem algumas matérias, estavam presos", disse. Ela defendeu a atuação do governo Lula em relação à imprensa: "Nunca ligamos para editor para reclamar de jornalista, porque respeitamos o trabalho de vocês."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.