ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Dilma diz que corrupção no Brasil tem a mesma idade que a escravidão

Comentário foi feito em discurso durante 3º Festival Rural da Juventude Rural

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

29 Abril 2015 | 20h20

BRASÍLIA- Uma semana depois de a Petrobrás divulgar balanço em que estimou em R$ 6,2 bilhões as perdas com corrupção, a presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (29) que a “confusão” entre o que é público e o que é privado “tem a mesma idade que a escravidão”. O comentário foi feito em discurso durante o 3º Festival Rural da Juventude Rural, em Brasília. 

“A confusão entre o que é bem individual e o que é bem público decorre de uma coisa chamada patrimonialismo, que era típico da oligarquia rural brasileira, que achava que o Brasil como nação era só dela. Porque uma parte da população era escrava e não tinha direito nenhum”, afirmou Dilma. 

“Essa confusão é uma confusão ética, é uma confusão política, é uma confusão que não constrói a nossa nacionalidade. Daí a importância da gente ter claro que a visão do público é algo essencial, nós temos de respeitar o que é o bem público, temos de ser capazes de prestar contas sobre esse bem público e, sobretudo, temos, como governo, de ser capazes de defendê-lo.


” No dia 16 de março, a presidente disse que “a corrupção é uma senhora idosa”, em resposta ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que havia declarado que a “a corrupção no Brasil não está no Poder Legislativo, está no poder Executivo”.

 Durante o evento da Contag, Dilma voltou a dizer que o seu governo “impediu que houvesse engavetadores, deu autonomia à ação da Polícia Federal e respeitou a independência do Ministério Público”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.