Dilma diz que coalizão realiza sonho de Vargas e Brizola

A presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou que a coalizão que governa o País está realizando "alguns dos maiores sonhos de líderes como Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola" em mensagem enviada aos participantes da abertura do 5º Congresso Nacional do PDT, hoje à noite, em Porto Alegre.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

01 Setembro 2011 | 21h25

No texto, lido pelo ministro do Trabalho e presidente licenciado do PDT, Carlos Lupi, Dilma manifesta orgulho pelos anos que militou no partido - até 2000 - e destaca a parceria das siglas que desde 2002, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se elegeu pela primeira vez, estão juntas "na caminhada para transformar o Brasil em País mais justo, menos desigual e mais inclusivo".

Dilma elogiou ainda a decisão do PDT de programar seu evento para o período de comemoração dos 50 anos da Campanha da Legalidade, movimento liderado pelo ex-governador Leonel Brizola para garantir a posse do vice-presidente João Goulart, depois da renúncia de Jânio Quadros, contra a vontade dos ministros militares, em 1961. "Foi com a força do povo gaúcho que Leonel Brizola liderou o maior movimento cívico de resistência democrática da história contemporânea do Brasil", afirmou.

Na homenagem, a presidente transcreveu o trecho de um discurso que Brizola fez pela Cadeia da Legalidade, a rede de emissoras de rádios que transmitia seus pronunciamentos de dentro do Palácio Piratini, onde estava entrincheirado sob ameaça de bombardeio dos militares. "Poderei ser esmagado, destruído, morto, mas aqui resistiremos até o fim; a morte é melhor que a vida sem honra e sem dignidade", proclamou o então governador. "O Brasil deve muito à coragem desse homem", destacou Dilma.

Embora tenha lamentado não ter ido pessoalmente ao Congresso, Dilma desembarco em Porto Alegre pouco depois da leitura de sua mensagem. A presidente passa a noite na capital gaúcha, onde tem residência, e cumpre agenda oficial nesta sexta-feira, quando visita a Expointer, em Esteio, e libera verbas para a área da saúde em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre.

Mais conteúdo sobre:
governocoalizãoDilmaPDT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.