ROBERTO VINICIUS/ESTADÃO CONTEÚDO
ROBERTO VINICIUS/ESTADÃO CONTEÚDO

Dilma diz que acusação em delação de Odebrecht é ‘mentirosa e infundada’

Em nota, presidente afastada afirma ainda que "irá tomar as medidas judiciais cabíveis para reparar os danos provocados pelas infâmias lançadas contra si" e que "se mantém firme porque sabe que não há nada que possa incriminá-la"

O Estado de S. Paulo

04 de junho de 2016 | 17h49

BRASÍLIA - A presidente afastada Dilma Rousseff classificou como "mentirosa e infundada" a informação de que teria pedido pessoalmente ao empresário Marcelo Odebrecht uma doação de R$ 12 milhões para a sua campanha à reeleição em 2014.

A nota, divulgada pela assessoria de imprensa da petista, diz que ela "jamais intercedeu pessoalmente junto a qualquer pessoa ou empresário buscando benefícios financeiros para si ou para qualquer pessoa".

O texto afirma ainda que Dilma "irá tomar as medidas judiciais cabíveis para reparar os danos provocados pelas infâmias lançadas contra si" e que a presidente afastada "se mantém firme porque sabe que não há nada que possa incriminá-la".

"A ofensiva de setores da mídia com o objetivo de atacar a honra pessoal da Presidenta Dilma Rousseff não irá prosperar. Está fundada numa calúnia. Cabe aos acusadores provarem as várias denúncias, vazadas de maneira seletiva, covardemente trazidas por veículos da imprensa que não têm compromisso com a verdade", diz a nota.

Reportagem da Revista IstoÉ deste fim de semana afirma que Odebrecht revelou em acordo de confidencialidade com a Lava Jato que Dilma cobrou o pagamento de uma doação que não teria sido declarada à Justiça.

Segundo o empreiteiro, preso desde junho do ano passado, o então tesoureiro da campanha, Edinho Silva, havia pedido a ele uma doação de R$ 12 milhões para serem repassados ao marqueteiro João Santana e ao PMDB.

De acordo com a publicação, Marcelo se recusou a fazer o repasse e resolveu tratar do assunto pessoalmente com Dilma. "Presidente, resolvi procurar a sra. para saber o seguinte: é mesmo para efetuar o pagamento exigido pelo Edinho?" "É para pagar", respondeu Dilma, segundo a revista.

Edinho também nega as declarações, as quais classificou como "show explícito de mentiras" somente para atacar Dilma. O ex-ministro diz que "jamais pedi recursos que não fossem doados legalmente".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.