Dilma deve anunciar na próxima semana o novo presidente da EBC

O ex-secretário de Imprensa da Presidência Nelson Breve deverá substituir a jornalista Tereza Cruvinel, que comanda a empresa atualmente

João Domingos, de O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2011 | 19h21

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff deverá anunciar no início da semana a escolha do ex-secretário de Imprensa da Presidência Nelson Breve para o cargo de presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em substituição à jornalista Tereza Cruvinel. A EBC foi criada no governo de Luiz Inácio Lula da Silva como empresa pública de comunicação, em substituição à estatal Radiobrás.

 

O processo de escolha de Nelson Breve se deu depois de uma intensa disputa de bastidores não só no setor de comunicação do governo, mas também de ministros palacianos e até do ex-ministro Franklin Martins (Comunicação Social de Governo). Uma parte defendia a recondução de Tereza Cruvinel; outra, tendo à frente Franklin Martins, fazia pressão para a escolha de Nelson Breve.

 

Há um mês, Tereza Cruvinel teve um encontro com a presidente Dilma Rousseff. De acordo com a própria jornalista, Dilma a convidou a permanecer no cargo. Mas ela afirmou que defendia a renovação na EBC. Ao se encontrar com Dilma, Tereza já sabia das disputas pela sua sucessão. E já vinha ouvindo falar que a escolha recairia sobre Nelson Breve. Ela optou por deixar a presidente à vontade.

 

Ao mesmo tempo, havia a informação de que conselheiros da EBC - que não têm poder para eleger, mas sim para demitir dirigentes - trabalhavam abertamente contra a recondução de Tereza Cruvinel. Alguns deles estavam até dispostos a iniciar um processo de impeachment da presidente, caso ela fosse reconduzida.

 

A EBC comemorou seus quatro anos de existência na quarta-feira, 27, numa solenidade que marcou a despedida de Tereza Cruvinel. Dela participaram os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Câmara, Marco Maia (PT-RS), além de alguns ministros, como Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Helena Chagas (Comunicação de Governo). Ao discursar, Tereza disse que a EBC sofreu muitos ataques desde que foi criada. "Nunca uma empresa tão necessária à democracia foi tão atacada", afirmou a jornalista.

 

A EBC, embora seja uma empresa pública, é mantida com verbas federais. Seu orçamento de 2011 é de R$ 450 milhões.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.