Dilma destaca urgência de credibilidade da ação política

Em meio ao julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira que o combate ao malfeito não pode ser usado para "atacar a credibilidade" da ação política. As declarações da presidente foram durante discurso na cerimônia de abertura da 15ª Conferência Internacional Anticorrupção (IACC), em Brasília.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

07 de novembro de 2012 | 12h34

"O combate ao malfeito não pode ser usado para atacar a credibilidade da ação política. O discurso anticorrupção não deve se confundir com o discurso antipolítica, deve, ao contrário, valorizar a política, a esfera pública, a ética", afirmou a presidente.

"O Estado é o destinatário privilegiado das mobilizações por transparência e isso ocorre pela quantidade de informações e decisões e ações que afetam a vida de milhões de pessoas, todas essas ações que constroem a transparência são essenciais para a democracia."

Dilma defendeu a fiscalização, investigação e punição contra a corrupção e todos os malfeitos. Ela destacou entre os instrumentos de combate à corrupção no Brasil o Portal da Transparência e a Lei de Acesso à Informação.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmaanticorrupçãocredibilidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.