Dilma desembarca em SP para ''empurrar'' Marta

Ministra diz que pré-candidata é ?competente, capaz, exemplo de mulher?

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

11 de junho de 2008 | 00h00

Um dia após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter pedido cautela a ministros ao apoiarem candidatos na eleição municipal, a ex-ministra e pré-candidata à prefeitura paulistana Marta Suplicy (PT) engrossou ontem sua linha de cabos eleitorais com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Atendendo a um convite de Marta, Dilma veio a São Paulo especialmente para participar de um seminário organizado pelo Diretório Municipal do PT sobre trânsito e transporte em São Paulo.Sob o argumento de que estava presente para falar sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Dilma não poupou elogios a Marta. "É uma servidora pública competente, capaz, responsável por uma das grandes administrações municipais deste país, um exemplo de mulher batalhadora e competente", disse Dilma, a quem Marta se referia como "amiga". Dilma, que enfrenta a suspeita de ter interferido na venda da VarigLog, não falou com a imprensa e deixou o local do evento por um acesso privativo.A viagem de Dilma faz parte de uma estratégia de articuladores da campanha de Marta para aproximar a imagem da petista à de Lula. Com aval do presidente, a ex-prefeita convidou outros quatro ministros para seminários semelhantes: Fernando Haddad (Educação), José Gomes Temporão (Saúde), Tarso Genro (Justiça) e Márcio Fortes (Cidades). O PT paulistano pagará os custos da viagem. Ontem, o coordenador da campanha petista, deputado Carlos Zarattini, negou que haja favorecimento à campanha de Marta por parte do governo, na comparação com outras siglas da base aliada. "Estamos discutindo propostas, não só para o PT, mas para a cidade. Todos os partidos podem estar aqui se quiserem."TRÂNSITOAo falar no principal tema de sua campanha, Marta apresentou ontem uma série de propostas para aliviar o problema do trânsito na capital. Ela prometeu, por exemplo, rever o modelo do bilhete único, uma das marcas de sua gestão no transporte público. A idéia, disse, é aumentar o tempo em que é permitido pegar vários ônibus com o pagamento de uma única passagem.Dilma, que também elogiou o bilhete, repetiu o discurso do governo de que o PAC foi desenhado com base na necessidade da região, e não com interesses eleitoreiros. Exemplo disso, afirmou, são os investimentos feitos em obras como o Rodoanel e no metrô paulistano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.