Dilma defende um governo 'digital' e 'mais conectado'

A um público formado basicamente por jovens militantes e ativistas de esquerda, a presidente defendeu aproximação não só com a 'voz das ruas', mas também com a 'voz das redes'

Rafael Moraes Moura e Ricardo Della Coletta , O Estado de São Paulo

05 de agosto de 2013 | 17h29

A presidente Dilma Rousseff aproveitou discurso de sanção do Estatuto da Juventude para defender, nesta segunda-feira, 5, que o governo fique "digital" e não só conectado "à voz das ruas", mas à voz das "redes" também. "Diante da juventude, um governo tem de ficar digital. Nós vamos ficar cada vez mais conectado, não só com a voz das ruas, mas a das redes também", disse Dilma. O comentário foi feito durante cerimônia realizada no Palácio do Planalto.

Segundo a presidente, o Brasil enfrenta uma série de problemas, envolvendo também a exclusão digital. "Outro grande problema do Brasil é a exclusão digital. Temos empenho de construir programa de acesso à banda larga com qualidade", afirmou Dilma.

Ao dirigir-se ao público da cerimônia, formado basicamente por jovens militantes e ativistas de esquerda, Dilma disse que esteve, durante a sua juventude, lutando por mais democracia e direitos. "Não deixei meus compromissos democráticos quando assumi a Presidência", afirmou, sendo interrompida por fortes aplausos.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaReunião de LíderesCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.