Dilma declara apoio a Mercadante e a Skaf em SP

A candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, disse na manhã de hoje que "dará força" a dois candidatos nas eleições de São Paulo. Em visita à unidade mais antiga do País do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), no bairro do Brás, na região central da capital paulista, Dilma foi guiada pelo candidato do PSB ao governo do Estado, Paulo Skaf, a quem declarou apoio. "Eu acredito que aqui em São Paulo tenho dois palanques, no mínimo", disse a candidata. "O Skaf é um deles e o outro é o (Aloizio) Mercadante (PT)", acrescentou.

GUSTAVO URIBE E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

23 de agosto de 2010 | 14h26

Antes mesmo do sol nascer, Dilma já estava hoje ao lado de Mercadante e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na porta de uma fábrica em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Horas depois, a candidata do PT acompanhava Skaf na visita à unidade de educação, da qual o candidato foi presidente regional em São Paulo.

O palanque duplo seria um meio de o PT levar a corrida estadual para o segundo turno. "Eu estou acompanhando o Skaf porque considero uma pessoa capacitada", avaliou. "E vou dar força para os dois (candidatos). Porque os dois me apoiam", ressaltou a petista, em coletiva de imprensa concedida do lado de fora do Senai.

A candidata aproveitou a visita para falar sobre o cenário eleitoral paulista e tecer críticas à administração do PSDB. "Acredito que para o governo de São Paulo estão concorrendo pessoas qualificadas. Acho importante que isso ocorra, porque não vejo muito sentido em manter por mais quatro anos uma administração que já dura por dezesseis." Dilma acusou os tucanos de ainda não terem trazido "grandes resultados" na área da educação.

Escolas profissionalizantes

Dilma afirmou que antes da gestão do presidente Lula foram criadas no País apenas 140 escolas profissionalizantes. E que até o final deste ano, com os esforços do governo atual, o número é de 214. Dilma prometeu que, se eleita, irá construir uma unidade de ensino profissionalizante em cada município com população igual ou superior a 50 mil habitantes, ou nas cidades que sejam centro de regiões. E elogiou o padrão das escolas do Senai, ressaltando que é um modelo importante para o País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.