Dilma critica Caixa por esconder números do Minha Casa

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, criticou hoje a Caixa Econômica Federal (CEF) ao dizer que a instituição "não pode ter vergonha" de divulgar os números referentes à entrega de moradias do programa Minha Casa, Minha Vida. "A Caixa não devia ficar com vergonha de dizer que entregou menos casas", afirmou Dilma, após conversar com o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), d. Geraldo Lyrio Rocha. "Isso está errado (por parte da CEF). Tinha de explicar de forma tranquila, e não esconder o número. Até porque não podia ser diferente. Seria um milagre se fosse de outro jeito."

VERA ROSA, Agência Estado

19 de agosto de 2010 | 19h43

Lançado por Dilma em março de 2009, quando ela era ministra da Casa Civil, o plano prevê a construção de 1 milhão de casas até o fim do ano. Dados divulgados pela CEF na semana passada indicam que apenas 3.588 unidades foram repassadas até agora para famílias com renda de até três salários mínimos (R$ 1.530). O número corresponde a 0,9% da meta de construção de 400 mil moradias para essa faixa salarial.

Dilma negou que a meta de 1 milhão de moradias seja "enganosa" e, na guerra de números, disse haver 590 mil casas já "contratadas" pelo banco. A petista não escondeu a contrariedade com notícias de que a CEF entregara apenas 565 unidades até agora. "Esse é um dado absolutamente distorcido, só passível de ser expresso em momentos eleitorais, quando as coisas tendem a ser um pouco distorcidas", respondeu a petista, quando questionada por uma jornalista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.