Dilma contém euforia e diz que jogo só começou

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou ontem que "pesquisa não ganha eleição" e o jogo ainda "está começando". "Um bom jogador tem de jogar a partida inteira. E somos bons jogadores", disse Dilma, ao comentar pesquisa Datafolha divulgada ontem, segundo a qual venceria a eleição no primeiro turno.

JULIA DUAILIBI, Agência Estado

22 de agosto de 2010 | 08h14

Dilma participou de comício em Mauá, na Grande São Paulo, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente comentou a pesquisa que deu 17 pontos porcentuais de vantagem à petista e pediu que não haja "salto alto". "Eleição e mineração, resultado só depois que apurou", afirmou, após comparar a candidata, mais uma vez, a Nelson Mandela e a Barack Obama.

Lula e Dilma voltaram a enfatizar a relação paternal com o eleitor. Ela disse que, se vencer, "honrará o legado" de Lula com "atenção, carinho e força de uma mãe". Ao som de um jingle da campanha, cujo refrão diz "deixo o meu povo em suas mãos", Lula afirmou: "Se não tivesse a Marisa e tivesse um filho, entregaria a essa companheira para cuidar."

A candidata criticou novamente o uso de imagens de Lula no programa de TV do adversário José Serra (PSDB). Disse que o povo não é "bobo" nem "tolo". "Acho uma coisa muito estranha que a gente seja sistematicamente criticado e ocorra esse processo." Para ela, por trás da estratégia tucana, há "uma imensa subestimação da população". "Tem uma visão extremamente elitista nisso."

Questionada sobre declarações de Serra, de que o governo "intimida" a imprensa, Dilma disse que "a estratégia do medo já mostrou que não leva a nada". "Sei o valor da democracia. Se alguém pode dizer na pele, sei na pele. Passei minha juventude, alguns anos, na cadeia", disse Dilma, que completou: "Nunca ligamos para diretor de jornal e reclamamos de jornalista." Afirmou ainda que tentativas de criar medo foram derrotadas quando Lula em 2002 "pegou a esperança na mão e derrotou o medo".

A candidata disse lamentar se o adversário fizer "baixarias" na campanha. "As pessoas vão estar destruindo suas biografias."

Mas aproveitou para criticar os tucanos. Lula pegou o mote e atacou a gestão do PSDB em São Paulo. "Queria que imprensa investigasse quanto de dinheiro mandei para cá no governo Alckmin e Serra. Quem cuida deste Estado é o governo federal."

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010Dilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.