André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Dilma confirma que não irá a interrogatório em comissão do impeachment

Por meio de sua conta no Twitter, a presidente afastada diz que sua defesa será feita por escrito e lida por José Eduardo Cardozo e avalia a possibilidade de, 'em outro momento', comparecer ao plenário do Senado

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2016 | 14h30

BRASÍLIA - A presidente afastada Dilma Rousseff confirmou, por meio de sua conta no Twitter, que não irá participar de seu interrogatório na Comissão Especial do Impeachment, marcado para a quarta-feira, 6. 

"A minha defesa amanhã será feita por escrito e lida pelo meu advogado. Estamos avaliando a minha ida ao plenário do Senado, em outro momento", escreveu a presidente. No momento da votação em plenário é prevista outra chance de a presidente ir ao Senado para fazer sua defesa.  

Já era esperado que a presidente não participasse da sessão de quarta-feira, embora a defesa não houvesse confirmado oficialmente sua ausência.

Na manhã desta terça-feira, 5, ao chegar à comissão, o presidente do colegiado, Raimundo Lira (PMDB-PB), explicou que, caso a presidente não participe da comissão, sua defesa não poderá responder a perguntas feitas pelos senadores. Caberá ao ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, apenas a leitura de uma mensagem da presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.