Dilma confirma que manterá as reuniões trimestrais com Chávez

Após conversa por telefone, presidentes concordaram em se reunirem no Peru em fevereiro para programar a visita oficial de Dilma à Venezuela e conversaram sobre novo momento que se abre na relação estratégica bilateral

Efe,

12 de janeiro de 2011 | 04h57

CARACAS - A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e o líder venezuelano, Hugo Chávez, anunciaram um acordo nesta terça-feira, 11, para manter as reuniões trimestrais que os dois governos realizam desde o fim de 2008, além de retomar a agenda de integração energética regional.

 

Após conversa por telefone desta terça-feira, Dilma e Chávez concordaram em se reunirem no Peru em fevereiro, no marco da Cúpula de chefes de Estado da América do Sul e dos países árabes, indicou um comunicado da Chancelaria venezuelana.

 

A Agência Brasil, por sua vez, informou que os presidentes se encontrarão em 16 de fevereiro para programar a visita oficial de Dilma à Venezuela.

O comunicado da Chancelaria venezuelana assinalou que os dois líderes dialogaram com "o fim de trocar ideias acerca do novo momento que se abre na relação estratégica bilateral", após Dilma ter assumido a Presidência do Brasil.

 

Nesse sentido, espera-se que "nos próximos dias" o assessor da Presidência brasileira, Marco Aurélio Garcia, visite Caracas para desenvolver "junto ao governo venezuelano as principais linhas desta nova etapa da relação estratégica entre os dois países", assinalou o comunicado venezuelano.

 

Durante a conversa telefônica, Dilma e Chávez "concordaram em retomar a agenda de integração energética sul-americana, particularmente nas áreas de petróleo e gás".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.