Dilma comenta pelo Twitter projeto na ONU sobre internet

A presidente Dilma Rousseff comentou na noite deste sábado, dia 2, pelo Twitter, a iniciativa de Brasil e Alemanha, que apresentaram em conjunto, à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), projeto de resolução sobre direito à privacidade na internet. Segundo Dilma, "o direito à privacidade não pode ser submetido a ingerências arbitrárias, como mostram as denúncias de espionagem em países como o Brasil e a Alemanha".

FABRÍCIO DE CASTRO, Agência Estado

02 de novembro de 2013 | 22h12

A presidente afirmou ainda que "a privacidade na internet faz parte dos direitos humanos e sua defesa deve ter tratamento prioritário nas discussões da ONU".

Na última quinta-feira, Brasil e Alemanha entregaram à Assembleia-Geral da ONU o texto final da resolução sobre direito à privacidade na internet que os dois países copatrocinaram. O projeto, que será primeiro analisado pela terceira comissão da Assembleia, conclama os Estados-membros a respeitar e assegurar o respeito à privacidade e determina que cidadãos não podem "ser submetidos a ingerências arbitrárias ou ilegais em sua vida privada, família, domicílio ou correspondência".

A proposta, inicialmente brasileira, começou a ser desenhada depois das revelações do ex-técnico da CIA, Eduardo Snowden, de que os EUA espionavam governos, cidadãos e empresas de países, aliados ou não, e o Brasil era um de seus alvos preferenciais.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaTwitterprojetoONUinternet

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.