Dilma comemora resultado de votação do Mais Médicos

A presidente Dilma Rousseff evitou fazer comentários sobre os mais recentes dados sobre a inflação, no final da manhã desta quarta-feira, 09, mas comemorou o resultado da votação da Medida Provisória do programa "Mais Médicos" no plenário da Câmara, na madrugada de hoje. Depois de sete horas de debates, os deputados aprovaram o texto-base do programas.

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

09 de outubro de 2013 | 12h29

Já a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,35% em setembro, ante 0,24% em agosto, conforme divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Até setembro, o IPCA acumula altas de 3,79% no ano e 5,86% em 12 meses. "Fiquei muito animada com a votação do Mais Médicos", disse Dilma, ao receber pergunta sobre como avaliava os rumos da inflação.

Dilma participou sessão solene em homenagem aos 25 anos da promulgação da Constituição Federal, no plenário Ulysses Guimarães da Câmara dos Deputados. Dilma chegou acompanhada da ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti; e foi recepcionada pelo presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN); e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), além do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa.

O Congresso entregou hoje a Medalha Assembleia Nacional Constituinte a parlamentares e colaboradores que participaram da elaboração da nova Constituição. Cunhadas em ouro, prata e bronze pela Casa da Moeda do Brasil, as medalhas serão entregues pelo presidente Henrique Eduardo Alves. A presidente não ficou para a cerimônia de entrega das medalhas.

Ao deixar o Congresso, Dilma foi acompanhada pela presidente da Câmara. Henrique Eduardo Alves explicou, no trajeto, que havia, além das medalhas de ouro, outras 600 medalhas de prata, informação que provocou uma reação de surpresa da presidente. "Seiscentas?", reagiu Dilma. Nesse curto percurso, a presidente reforçou a Alves que ficou "muito satisfeita" com a aprovação da MP dos Mais Médicos. Segundo o presidente da Câmara, Dilma também revelou ter grande admiração pela obstinação de Ulysses Guimarães, que foi presidente da Assembleia Nacional Constituinte, entre 1987 e 1988.

Mais Médicos

O plenário da Câmara aprovou o texto-base do programa na madrugada de hoje, depois de mais de sete horas de discussão. A proposta transfere para o Ministério da Saúde a responsabilidade pela concessão do registro a profissionais estrangeiros integrantes do programa, altera o formato da residência médica e modifica o internato feito pelos alunos da graduação.

O texto, no entanto, ainda pode ser modificado pela Casa. Ficou para hoje ainda a votação de mais de 13 destaques apresentados. O Mais Médicos é uma das mais importantes bandeiras de Dilma Rousseff, já mirando a campanha de reeleição.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaCongressoMais Médicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.