Dilma cita Ciro como vice em chapa governista

Ministra visitou conjunto habitacional em Fortaleza e deputado reuniu-se com sindicalistas em São Paulo

Carmem Pompeu e Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

19 de junho de 2009 | 00h00

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) voltou a afirmar ontem que ainda está pensando sobre a possibilidade de disputar o governo de São Paulo em 2010. Mas, em visita a um evento com sindicalistas na capital paulista, ele cumpriu roteiro típico de candidato. No Ceará, também em clima de campanha, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, provável candidata do Planalto à sucessão presidencial, não descartou ter o deputado como postulante a vice. "Se eu puder escolher, independente do ano, quero Ciro ao meu lado", afirmou, em visita a um conjunto habitacional em Fortaleza, anteontem. Já Ciro deixou em aberto uma candidatura em São Paulo. "Estou pensando", disse o deputado, assim que chegou à sede da Força Sindical para um congresso do Sindicato dos Metalúrgicos. Sobre uma dobradinha com Dilma afirmou que "ninguém é candidato a vice".Ciro percorreu quatro andares do prédio, entrando e saindo de auditórios e fazendo discursos. Com um vocabulário familiar à plateia - formada em sua maioria por nordestinos - , ele falou da sua trajetória no Nordeste, apesar da origem paulista, e citou realizações que beneficiaram diretamente a classe operária, como a medida provisória, assinada por ele quando ministro, que instituiu a participação dos trabalhadores nos lucros e resultados das empresas.Dilma também se comportou como candidata. Caminhou pelas casas, abraçou e beijou moradores e tomou cafezinho na barraca de um ambulante, mas não falou de política. ALIANÇACiro, que nasceu no interior paulista, mas fez sua vida política no Ceará, vem sendo cotado para concorrer ao governo paulista em aliança com o PT. A hipótese provoca polêmica entre os petistas que querem candidato próprio.O deputado preferiu não polemizar. "O PT faz muito bem." E classificou como especulação uma postulação em São Paulo. "Isso está no plano rigoroso da especulação", defendeu. Mas não descartou a possibilidade. "Evidente que alguns fatos acabam se reproduzindo a partir de especulações." Em público, o deputado vem dizendo que está se preparando para disputar a Presidência. Aos sindicalistas, confidenciou que não se interessa mais em disputar uma cadeira para deputado. À distância, Ciro e a ministra trocaram elogios. "Convivi com ele durante quatro ou cinco anos e o acho um homem leal e de coragem", disse Dilma. "A ministra é uma pessoa extraordinária, minha companheira e amiga", afirmou Ciro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.