Dilma cancela viagem ao Paraguai por conselho médico

A presidente Dilma Rousseff cancelou a viagem que faria ao Paraguai no próximo domingo, 15. O cancelamento atende à “recomendação médica por cautela”, segundo informação da assessoria da Presidência da República. A orientação médica foi de que, embora esteja “quase recuperada” da pneumonia, era melhor a presidente não se expor a seis horas de viagem, já que ela faria a viagem em um único dia.

LISANDRA PARAGUASSU, Agência Estado

12 de maio de 2011 | 18h52

 

 

Uma fonte ligada à equipe médica da presidente informou que o tratamento contra a pneumonia terminou nesta semana, mas Dilma ainda está em recuperação. Por essa razão, foi recomendado o cancelamento da viagem. “Não há nada novo, ela está ótima”, disse. “Mas se você tem uma pneumonia e fica de dez a quatorze dias tomando antibióticos, o estado de saúde não é o mesmo”, explicou.

 

 

A fonte ressaltou que a presidente Dilma não está mais em repouso e está cumprindo agenda de trabalho, mas que uma viagem de seis horas (ida e volta) de avião “não tem lógica” para quem terminou um tratamento há poucos dias.

 

 

Na viagem ao país vizinho, a presidente será representada pelo ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota. O presidente do Congresso, José Sarney (PMDB-AP), também estará presente. No domingo, será comemorado o Bicentenário da Independência do Paraguai.

 

 

Dilma tem outra viagem marcada neste mês, dia 23, dessa vez para o Uruguai. O Planalto ainda trabalha com essa previsão, mas não há confirmação oficial de que será mantida.

 

 

Com informações da Agência Estado

 

 

Texto alterado às 20h20 para acréscimo de informações

Mais conteúdo sobre:
saúdeviagemDilmaParaguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.