Dilma cancela agenda no CE e prepara ofensiva em MG

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, aproveitou o cancelamento da visita ao Ceará para fazer uma ofensiva no segundo maior colégio eleitoral do País: Minas Gerais tem 14 milhões de eleitores. Na linha do anunciado reforço na campanha de Hélio Costa (PMDB) ao governo do Estado, a candidata cumprirá duas agendas em Minas até o fim da semana. Amanhã ela tem compromissos em Varginha, no sul mineiro. Na sexta-feira, participa de um comício em Juiz de Fora, na divisa com o Rio de Janeiro.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

14 de setembro de 2010 | 19h49

A escalada do adversário de Hélio Costa, Antonio Anastasia (PSDB), nas pesquisas acendeu a luz amarela no comando da campanha petista. De acordo com sondagem do Ibope divulgada hoje, Anastasia - que tem o apoio de Aécio Neves (PSDB), ex-governador mineiro e candidato ao Senado - abriu nove pontos porcentuais de vantagem sobre o peemedebista. Se a eleição fosse hoje, o tucano venceria no primeiro turno.

O que assustou petistas e peemedebistas é que o salto de Anastasia se deu num curto espaço de tempo. Há dez dias, havia empate técnico entre Costa, apoiado pelo PT e pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e Anastasia. Agora o tucano desponta com 41% das intenções de voto. Já o peemedebista oscilou de 33% para 32%.

Para desembarcar amanhã em Minas, Dilma cancelou a pré agenda que cumpriria em Fortaleza com o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), que disputa a reeleição. Um dirigente da campanha admitiu que a viagem ao Ceará foi cancelada porque foi adiado o compromisso do presidente Lula no Estado. A ideia era promover mais uma agenda casada entre o presidente e Dilma, em prol da campanha de Cid.

Além disso, as relações com os aliados estão delicadas no Estado nordestino. Na campanha ao governo, o candidato do PR, Lúcio Alcântara, também reivindica uma agenda com Dilma. E na disputa ao Senado, as relações entre peemedebistas e petistas azedaram por causa da briga de Eunício Oliveira (PMDB) e José Pimentel (PT) por uma das vagas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.