ADRIANO MACHADO|REUTERS
ADRIANO MACHADO|REUTERS

Dilma cai seis posições em ranking das pessoas mais poderosas do mundo

Divulgado pela revista Forbes, ranking é liderado pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin; a chanceler da Alemanha, Angela Merkel; o presidente dos EUA, Barack Obama; o papa Francisco; e o presidente da China, Xi Jinping

Àlvaro Campos, O Estado de S. Paulo

04 Novembro 2015 | 17h45

São Paulo - A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, caiu seis posições e agora aparece em 37º lugar na lista das pessoas mais poderosas do mundo, elaborada pela revista norte-americana Forbes. O ranking é liderado pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin; a chanceler da Alemanha, Angela Merkel; o presidente dos EUA, Barack Obama; o papa Francisco; e o presidente da China, Xi Jinping.

A revista lembra que este ano foram realizados grandes protestos populares pedindo a saída de Dilma, poucos meses após sua reeleição, e que o governo enfrenta um grande escândalo de corrupção envolvendo a Petrobras. "Como primeira presidente mulher do Brasil, ela foi eleita em 2010 e caminhava para acabar com a pobreza nessa que é a sétima maior economia do mundo. Mas as esperanças de seus apoiadores sumiram nos últimos meses, com sua taxa de aprovação caindo para 13%", aponta a Forbes. A publicação lembra ainda que a economia brasileira deve encolher por dois anos seguidos. 

Na lista de 2014, Dilma já havia caído 11 posições. Já entre as mulheres mais poderosas do mundo, cujo resultado deste ano foi divulgado em maio, a presidente brasileira caiu três posições, para a 7ª colocação. 

O ranking das 74 pessoas mais poderosas do mundo considera quatro aspectos: número de pessoas sob influência; recursos financeiros controlados; poder potencial, sob vários aspectos; e o uso de fato desse poder. Obama, por exemplo, caiu uma posição no ranking pois já está no fim de seu mandato e seu poder está diminuindo.

Entre os estreantes na lista estão o executivo-chefe da Dell, Michael Dell (na 59ª posição); o homem mais rico da China, Wang Jianlin (68º); o recém-eleito primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau (69º); o investidor ativista e bilionário Carl Icahn (70º); e o pré-candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump (72º). 

O mais novo da lista é o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, de 32 anos, enquanto o mais velho é o ex-presidente norte-americano Bill Clinton, de 69.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.