Dilma: Brasil e África mantêm cooperação não opressiva

A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira que as relações entre Brasil e África são baseadas em uma cooperação de vantagens mútuas e valores compartilhados. A presidente chegou no início desta tarde a Adis Abeba, capital da Etiópia, para participar das comemorações dos 50 anos da União Africana. A presidente não quis comentar assuntos da agenda nacional, como a indicação de Luís Roberto Barroso para o Supremo Tribunal Federal (STF).

RAFAEL MORAES MOURA, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

24 de maio de 2013 | 13h49

"Eu acho uma deferência o Brasil ter sido convidado para falar em nome da nossa região nesse Jubileu de Ouro (da União Africana). Eu acho que (isso) reflete o fato e o reconhecimento da importância que o Brasil atribui à África", afirmou a presidente, ao chegar ao hotel onde está hospedada, depois de se encontrar com o primeiro-ministro da Etiópia, Hailemariam Desalegn. Segundo Dilma, Brasil e África mantêm uma cooperação "que não seja opressiva, que seja baseada em vantagens mútuas e valores compartilhados".

Ao comentar brevemente a agenda bilateral que teve com Desalegn, Dilma cometeu uma gafe ao chamá-lo de "presidente". "Eu estive há pouco com o presidente Hailemariam Desalegn e isso fica claro também nas relações bilaterais entre Brasil e a Etiópia. O Brasil quer não só estabelecer relações comerciais, investir aqui, vender para o país, mas o Brasil quer também uma cooperação no padrão sul-sul", comentou.

O comércio entre Brasil e Etiópia ainda é tímido - no ano passado, o Brasil vendeu maquinários e tabaco para a Etiópia, totalizando US$ 55 milhões, enquanto importou couro e peles da Etiópia por US$ 116 mil.

Integram a comitiva brasileira os ministros Aloizio Mercadante (Educação), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e Antonio Patriota (Relações Exteriores), além do embaixador Roberto Azevêdo, eleito para a direção-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Esta é a terceira viagem de Dilma ao continente só neste ano - a presidente visitou a Guiné Equatorial, em fevereiro, para a III Cúpula América do Sul-África, emendando com uma passagem pela Nigéria, onde se encontrou com o presidente Goodluck Jonathan. Em março, participou em Durban, na África do Sul, da V Cúpula de Chefes de Estado e de Governo dos Brics.

Neste sábado, 25, Dilma participa pela manhã da abertura do Jubileu de Ouro da União Africana, na sede da União Africana, em Adis Abeba. Depois, participa de almoço com autoridades e, por fim, prestigia cerimônia de comemoração do Jubileu de Ouro, quando discursará.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.