Dilma aprova postura sobre concessão de TV, diz Bernardo

Apesar de discordar, o ministro acha difícil mudar o modelo atual

Leonencio Nossa e Lisandra Paraguassu, de O Estado de S.Paulo,

07 de janeiro de 2011 | 13h51

BRASÍLIA - O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que a presidente Dilma Rousseff demonstrou satisfação com as declarações dele, nesta sexta-feira, 7, na imprensa, contra a concessão de rádio e TV a políticos. O ministro é contra a concessão, mas considera difícil mudar o modelo atual. Ele disse que, embora haja restrições na Constituição sobre a concessão de veículos de comunicação a parlamentares, é preciso ser realista sobre a dificuldade de regulamentação do texto constitucional no Congresso.

Sobre o plano de regulação da mídia, elaborado pelo ex-ministro da Secretaria de Comunicação, Franklin Martins, Paulo Bernardo disse que a proposta será avaliada, mas não estabeleceu prazo. "Vamos ter de olhar cada aspecto, cada ponto, a disputa em setores da área e discussões relativas a direitos de usuários e até à democracia",afirmou. Segundo o ministro, a prioridade no governo Dilma é o projeto da banda larga.

Tudo o que sabemos sobre:
rádioTVconcessãoPaulo BernardoDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.