Dida Sampaio/AE - 24.05.2012
Dida Sampaio/AE - 24.05.2012

Dilma apresenta vetos ao Código Florestal a aliados

Mudanças no texto devem retirar a anistia a desmatadores e trazer de volta o corte de crédito a proprietários rurais que não aderirem a programas de regularização ambiental

do estadão.com.br e Agência Estado

25 de maio de 2012 | 10h08

Atualizado às 11h46

Depois de apresentar as mudanças aos líderes do governo no Congresso os vetos para o texto do Código Florestal, o governo federal anuncia as mudanças em entrevista coletiva prevista para as 14h desta sexta-feira, 25. Segundo interlocutores próximos a presidente Dilma Rousseff, a anistia a desmatadores ficará de fora do novo texto.

 

A reunião de cerca de duas horas com a presidente foi acompanhada pelos ministros Izabella Teixeira (do Meio Ambiente), Pepe Vargas (Desenvolvimento Agrário), Mendes Ribeiro (Agricultura), Ideli Salvatti (Relações Institucionais), além do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) e os senadores Eduardo Braga(PMDB-AM) e José Pimentel (PT-CE).

 

De acordo com a Folha de S.Paulo, Dilma deve retirar a anistia a desmatadores e que nenhum proprietário rural seja desobrigado de recompor áreas em locais de preservação permanente. Trechos excluídos pelos deputados devem voltar ao texto. Entre eles estaria o corte de crédito para os proprietários que não aderirem a programas de regularização ambiental. Devem voltar também a proteção às margens dos rios urbanos.

 

Nessa quinta-feira, 24, a ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse que a revisão do Código esforçou-se para aproveitar ao máximo o espírito do texto aprovado pelos senadores e depois foi alterado pelos deputados. O vice-presidente Michel Temer sinalizou que o veto deve ser parcial.

 

"A reação da opinião pública confirmou a tese defendida pelo governo de que teria sido muito melhor terem apostado no acordo em torno do texto do Senado, que era muito mais equilibrado, tinha mais condições de ser colocado em prática", afirmou a ministra Ideli, nessa quinta.

 

Para os ambientalistas, no entanto, o ideal seria o veto integral ao texto. "O texto aprovado é horrível. É muito difícil pensar em uma solução que respeite algum pedaço desse projeto (aprovado pela Câmara), é o texto do desmatamento. A gente quer veto total", dise Pedro Abramovay, diretor da Organização Avaaz, , organização global que tem mais de 1,5 milhão de membros no País.

 

Participam do anúncio oficial os ministros Izabella Teixeira, Pepe Vargas e Mendes Ribeiro. A presidente Dilma não estará presente, segundo informou sua assessoria. Deve ser apresentado um novo texto também, a ser enviado ao Congresso, para preencher as lacunas que surgirem em decorrência dos vetos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.