Dilma anuncia mais 3 mil casas no convênio com SP

A presidente Dilma Rousseff anunciou hoje a decisão de ampliar a quantidade de casas populares a serem construídas no Estado de São Paulo, por meio do termo de compromisso e cooperação entre a Caixa Econômica Federal e o governo estadual. Na cerimônia desta manhã, no Palácio dos Bandeirantes, as informações do programa previam a construção de 97 mil moradias populares por meio do programa "Minha Casa, Minha Vida". Durante seu discurso, Dilma anunciou ter decidido ampliar a meta para 100 mil habitações.

ANNE WARTH, Agência Estado

12 de janeiro de 2012 | 13h21

A presidente disse que tomou a decisão durante a viagem de avião entre Brasília e São Paulo, na manhã de hoje. "Eu disse ao presidente da Caixa, Jorge Hereda, que veio comigo no avião: ''Nós não vamos fazer 97 mil casas, porque 97 mil é conta quebrada. Nós vamos fazer 100 mil. As três mil nós assumimos''", relatou Dilma.

O convênio prevê investimentos de R$ 8,045 bilhões para as 97 mil moradias inicialmente acordadas, a serem construídas até 2015. Desse total, R$ 6,145 bilhões virão do governo federal e R$ 1,9 bilhão do governo de São Paulo. Com os recursos do governo paulista, será possível elevar o subsídio à unidade habitacional financiada no Estado de R$ 65 mil, que é o custo máximo previsto no programa federal, para R$ 85 mil. Isso será feito com a aplicação de até R$ 20 mil por unidade, a fundo perdido.

Mais conteúdo sobre:
Estadocooperaçãomoradiasmeta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.