Dilma afirma que revista Veja faz 'terrorismo eleitoral'

Dilma afirma que revista Veja faz 'terrorismo eleitoral'

A presidente da República disse que a Justiça vai condenar a publicação pelo que chamou de "crime"

RICARDO DELLA COLETTA E RICARDO BRITO, Estadão Conteúdo

24 de outubro de 2014 | 14h21

A presidente Dilma Rousseff usou seu horário eleitoral nesta tarde para rebater as denúncias veiculadas nesta sexta-feira, 24, pela Revista Veja e disse que a Justiça vai condenar a publicação pelo que chamou de "crime".

"Não posso me calar frente a este ato de terrorismo eleitoral articulado pela Revista Veja e seus parceiros ocultos", disse a presidente, que classificou o teor da reportagem publicada pela semanal de "barbaridade" e de "infâmia". A presidente também criticou o fato de a revista ter antecipado sua edição para esta sexta-feira - a revista normalmente é distribuída aos sábados - e alegou que a publicação excedeu "todos os limites da decência e da falta de ética". "Isso é um crime. É mais do que clara a intenção malévola da Veja de interferir de forma desonesta e desleal nos resultados das eleições".

Na edição que circula a partir de hoje, a Revista Veja traz uma reportagem segundo a qual o doleiro Alberto Youssef revelou à Justiça que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinham conhecimento de práticas de corrupção na Petrobras. O depoimento do doleiro, investigado no âmbito da Operação Lava Jato da Polícia Federal, que apura um esquema de lavagem de dinheiro que pode ter movimentado R$ 10 bilhões, teria ocorrido na última terça-feira, dia 21, em Curitiba.

A maior parte do programa eleitoral da petista foi reservado para reagir à acusação. Ela afirmou que o povo vai responder à revista "nas urnas" e que ela fará o mesmo "na Justiça".

"Sem apresentar nenhuma prova concreta e mais uma vez se baseando em supostas declarações de pessoas do submundo do crime, a revista tenta envolver a mim e ao presidente Lula nos episódios da Petrobras que estão sob investigação da Justiça. Todos os eleitores sabem da campanha sistemática que esta revista move há anos contra Lula e contra mim", disse Dilma. "Mas como das outras vezes e em outras eleições, Veja vai fracassar em seu intento criminoso", acrescentou.

Dilma declarou ainda que não é possível aceitar que se divulguem "falsas denúncias no meio de um processo eleitoral em que o que está em jogo é o futuro do Brasil". Logo no início do programa da petista, um apresentador alegou que a atual edição da revista não traz nenhuma prova na matéria que implica Dilma e Lula no esquema de corrupção e argumentou que a Veja sempre traz "uma denúncia bombástica" quando as pesquisas de intenção de voto colocam um candidato do PT na liderança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.