Dilma afirma que está 'feliz' na posição de pré-candidata

Ministra observou que visita o Nordeste como gerente das obras do Programa de Aceleração do Crescimento

Leonencio Nossa, da Agência Estado,

15 Outubro 2009 | 14h15

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, voltou a enfrentar o desafio de pré-candidata do governo à presidência, no mais tradicional reduto eleitoral do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - o Nordeste. Integrante da comitiva presidencial que visita os canteiros das obras de transposição do Rio São Francisco, ela acompanhou Lula na manhã desta quinta-feira nos palanques e no encontro com trabalhadores do projeto, neste município de Pernambuco.

 

Veja também

linkEm viagem com Dilma para visitar obras, Lula reforça crítica ao TCU

linkLula faz comício no São Francisco, mas segura dinheiro para obra

linkDilma nega que governo queira flexibilizar fiscalização de obras

linkTCU tem dados contra ofensiva do Planalto

 

De bom humor, ela disse que mantém a mesma disposição de trabalho nas reuniões em gabinetes de Brasília e nas visitas a projetos do governo pelo País. "A gente é as nossas circunstâncias", disse à Agência Estado, parafraseando o pensador espanhol Ortega y Gasset. "Se é para sair (do gabinete), eu saio. Se é para permanecer, eu permaneço."

 

Com cuidado para não ferir a legislação eleitoral, ela procurou responder a simpatizantes e repórteres que queriam saber sobre sua candidatura presidencial. Dilma observou que visita o Nordeste como gerente das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A ministra, no entanto, deixou claro que está "feliz" com a experiência de pré-candidata.

 

A uma pergunta sobre "críticas da igreja" católica e de ambientalistas à transposição do São Francisco, ela respondeu que o projeto prevê compensações ambientais e preocupações com a diversidade do Semi Árido. "Eu não vejo crítica da Igreja, mas de um bispo", disse, referindo-se ao bispo de Barra (BA), Luiz Flavio Cappio. E acrescentou: "Acho que é uma crítica infundada, de pessoas que não têm conhecimento do projeto. A transposição vai garantir água para uma grande área do Nordeste".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.