Divulgação
Divulgação

Dilma afirma que ajuste econômico é para 'garantir oportunidades'

Em cidade mineira, presidente volta a defender medidas econômicas

Jose Roberto Castro, O Estado de S. Paulo

06 de março de 2015 | 12h40

São Paulo - A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira, 6, em cerimônia de entrega de casas em Araguari (MG), que garantir oportunidades e acesso a quem mais precisa é o principal "propósito que move o governo a fazer correções e ajustes".

"Estamos entrando em uma nova fase de enfrentamento da crise onde várias medidas diferentes serão tomadas", disse a presidente depois de ressaltar que o Brasil gerou emprego e renda mesmo após a crise econômica mundial de 2008. "Desde o início da crise internacional, em 2008, tivemos um objetivo que foi garantir emprego e salário. E conseguimos", afirmou.

A presidente se esforçou para justificar as medidas de ajuste fiscal promovidas pela nova equipe econômica. À plateia, disse que o dinheiro economizado ajudaria a financiar programas sociais, como o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec. "Não queremos voltar atrás para um outro momento, mas melhorar ainda mais o que já conquistamos. Por isso estamos fazendo correções e ajustes", afirmou Dilma, que disse ainda que as correções não eram "um fim em si mesmas".


Dilma disse ainda que o governo faz um "imenso esforço" para que "o Brasil continue não só fazendo programas sociais", mas também ampliando investimentos e tendo uma economia próspera.

A presidente participou de cerimônia de entrega de casas do Minha Casa, Minha Vida em Araguari, no Triângulo Mineiro. A presença de Dilma em eventos de entrega de casas faz parte da agenda positiva articulada pelo Planalto para tentar retomar a popularidade da presidente.

Neste domingo, 8, Dilma voltará a defender as medidas econômicas em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV. O mote será o Dia Internacional da Mulher, mas a petista vai aproveitar para falar sobre um pacote anticorrupção e sobre o ajuste fiscal. A exposição visa reverter a maré negativa e defender a posição do Palácio do Planalto perante a opinião pública.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.