Dilma afirma que adversários têm de ‘estudar muito’

Presidente provoca futuros concorrentes na eleição de 2014; afirma que eles precisam se preparar e ‘ver quais são os problemas’ do País

Atualizada às 20h, Marcelo Portela - enviado especial - O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2013 | 11h34

Itajubá (MG) - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, 14, que seus prováveis adversários na eleição do ano que vem precisam se preparar e "estudar muito" os problemas do País. Dilma, que não citou o nome de nenhum possível adversário, afirmou ainda que evita tratar da eleição de 2014 não por estar de "salto alto", já que lidera as pesquisas de intenção de voto divulgadas até o momento, mas porque tem que se dedicar ao cargo.

Ela visitou Itajubá, no sul de Minas, onde participou da inauguração de uma nova unidade da Balteau Produtos Elétricos, indústria destinada à produção de transformadores de energia. Em entrevista a duas rádios locais, a presidente foi questionada sobre a pesquisa Datafolha publicada no fim de semana – segundo o levantamento, num cenário de disputa contra Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), Dilma venceria no primeiro turno, com 42% das intenções de voto, ante 21% do senador tucano e 15% do governador pernambucano.

"Tudo o que as pessoas que estão pleiteando a Presidência da República querem é ser presidente. Eu sou presidente e não fico tratando, para mim não é problema a eleição agora", afirmou. "Acredito que, para as pessoas que querem concorrer ao cargo, elas têm de se preparar, estudar muito, ver quais são os problemas do Brasil. Eu passo o dia inteiro fazendo o quê? Governando."

Dilma ainda declarou que apenas "oportunamente" se dedicará à sucessão e que seu problema no momento "é governar, não ficar preocupada com quem vai ser candidato". "Até porque há indefinições. Para mim, a minha atividade principal é exercer até o último momento que eu puder de todos os dias a Presidência", disse a presidente, que, em menos de três meses, participou de seis eventos oficiais em Minas, principal reduto eleitoral de Aécio.

‘Candidata’. Em resposta à declaração de Dilma, Aécio, por meio de nota, afirmou que a presidente teve postura de "candidata". "A presidente Dilma é sempre muito bem vinda a Minas, como é natural da hospitalidade mineira, mesmo não tendo, mais uma vez, trazido respostas para importantes demandas do nosso Estado que estão sob responsabilidade do governo federal", afirmou o tucano. "Se não tivesse se afastado por tantos anos de Minas, a presidente, e não a candidata, talvez estivesse apresentando respostas a essas demandas."

No Recife, a ex-ministra Marina Silva, que se aliou ao projeto presidencial de Campos e se filiou ao PSB, reagiu com ironia e afirmou que a presidente "deu um conselho de professora". "Acho que ela dá um conselho muito bom porque aprender é sempre uma coisa muito boa. Difícil são aqueles que acham que já não têm mais o que aprender e só conseguem ensinar", disse a ex-ministra, lembrando ter sido alfabetizada aos 16 anos e gosta de valorizar aqueles que se dispõem a estudar. / COLABOROU ANGELA LACERDA

Tudo o que sabemos sobre:
dilmaeduardo camposmarina silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.