Dificilmente haverá votações hoje, diz João Paulo

O presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), admitiu que dificilmente haverá, hoje, votações na Casa. "A minha expectativa é que, semana que vem, se retomem as votações em ritmo mais acelerado", afirmou, em entrevista no Salão Verde da Câmara, após deixar o plenário, onde se realiza sessão solene em homenagem ao programa "Roda Viva", da TV Cultura, e se encaminhar para o Incor de Brasília, projeto cofinanciado pela Câmara. João Paulo disse que está cumprindo seu papel ao convocar sessões, elaborar pautas e convidar líderes para patrocinar um acordo. "Cada partido tem de resolver os seus problemas", disse. O presidente da Câmara explicou que o projeto da Lei de Biossegurança não foi incluído na pauta dos projetos que deverão ser votados até o fim do ano pela Casa, a pedido da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Segundo ele, Marina pediu que ele aguardasse "um pouquinho" para concluir conversas que ela tem mantido no governo. "Isso não significa que o projeto não será apreciado neste ano", disse João Paulo. "Ele poderá ser incluído na pauta".Na lista de projetos prioritários, lida ontem por João Paulo no plenário, estão o da Lei de Falências; o que altera o Código Tributário Nacional; o que corrige a tabela do Imposto de Renda na Fonte; o das Agências Reguladoras; as propostas de emenda constitucional da Reforma Tributária e de PEC (proposta de emenda constitucional) paralela de Reforma da Previdência e a que permite a desapropriação de terras onde houver trabalho escravo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.