'Diferenças' cancelam fusão dos partidos PMN e PPS

A secretária nacional do PMN, Telma Ribeiro, vai convocar os integrantes do partido para um congresso no dia 28 de julho com o objetivo de desfazer a fusão com o PPS. A união das duas legendas foi anunciada em abril deste ano. O novo partido foi batizado de Mobilização Democrática (MD) e vinha usando o número 33, que era do PMN.

LUCI RIBEIRO, Agência Estado

09 de julho de 2013 | 17h44

Segundo Telma Ribeiro, "houve um retardamento injustificado por parte do PPS para formalizar a união" e nesse intervalo, de cerca de dois meses, "se afloraram as diferenças" das duas legendas. Ela citou, por exemplo, que uma das motivações do PMN para se unir com o PPS era a possibilidade de fortalecimento das bases nos Estados e municípios, com a vinda de vereadores, novas lideranças e também pessoas que não necessariamente tivessem mandatos. O PPS, ao contrário, segundo ela, privilegia o fortalecimento da cúpula e a adesão de deputados.

Outro ponto que gerou descontentamento pelos integrantes do PMN foi o comportamento do PPS na discussão da reforma política. Telma Ribeiro explica que os debates internos sobre o assunto foram feitos só pelo PPS, que não convidou o PMN. "O PPS discutiu sozinho e apresentou à sociedade uma proposta de reforma política que não contou com a contribuição do PMN", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
PPSPMNfusãocancelamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.