Dias pede auditoria do TCU sobre Farmácia Popular

O líder do PSDB, senador Alvaro Dias (PR), protocolou nesta segunda na Mesa Diretora do Senado dois requerimentos relacionados à iniciativa do Ministério da Saúde de pagar preços mais elevados pelos remédios vendidos no ''Programa Aqui Tem Farmácia Popular'' do que os valores desembolsados pelos municípios na aquisição de medicamentos distribuídos gratuitamente nos postos de saúde do País. O líder pede ao Tribunal de Contas da União (TCU) que realize auditoria "com o propósito de averiguar as denúncias de que há diferença de preços no pagamento dos medicamentos que integram o programa do governo".

ROSA COSTA, Agência Estado

20 de agosto de 2012 | 18h58

Como justificativa, ele cita dados divulgados pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo desta segunda-feira, como é o caso do mapeamento do banco público de compras mostrando que o Ministério pagou mais por 17 dos 21 itens analisados. Além da constatação de que "a diferença entre o que saiu do caixa do governo e o menor preço encontrado no mercado, em compras feitas este ano no programa, ultrapassa meio bilhão de reais".

No outro requerimento, ele pede ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que se manifeste sobre três pontos do programa. O tucano quer saber como o Ministério determina o valor do reembolso feito ao setor privado. Indaga ainda se é feito algum tipo de levantamento para comparar os preços que paga ao setor privado e os preços encontrados no mercado, e sobre a diferença entre esses preços.

Tudo o que sabemos sobre:
PSDBFarmácia PopularTCU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.