Dias: Ameaça de Palocci revela governo 'à deriva'

O líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), disse hoje que a tentativa do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, de transmitir ao vice-presidente da República, Michel Temer, o recado da presidente Dilma Rousseff quanto à possibilidade de retaliação no caso dos deputados não votarem o Código Florestal como ela esperava - segundo revela a colunista Dora Kramer, do jornal O Estado de S.Paulo - mostra que o governo é hoje "uma nau à deriva", recorrendo à pressão por não ter comando. "A relação com o Congresso fica comprometida, aí o governo é obrigado a fazer concessões, porque a rédea está solta", afirmou.

ROSA COSTA, Agência Estado

27 de maio de 2011 | 16h51

Ao contrário do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que disse desconhecer o telefonema de Palocci a Temer ameaçando retaliar com a exoneração dos ministros peemedebistas, o líder tucano disse que não só ele, mas muitos parlamentares souberam dessa conversa.

Na opinião de Dias, mais estranho do que a falta de habilidade de Palocci em transmitir o recado a Temer é o fato de Dilma tê-lo nomeado para o cargo de ministro da Casa Civil, mesmo sabendo dos antecedentes que, há cinco anos, o obrigaram a renunciar ao cargo de ministro da Fazenda. "Acho mais estranho a presidente colocá-lo para um ministério tão importante conhecendo seus precedentes no governo anterior", afirmou. "A tentativa do PT de tentar reabilitar mensaleiros e outros envolvidos em irregularidades é uma prática condenável, muito ruim para o País", criticou Dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.