Diante de Dilma, Eduardo Campos faz desagravo a Ciro

No evento em que entregou as propostas do partido para o programa de um eventual governo Dilma Rousseff (PT), o governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, fez um desagravo ao deputado Ciro Gomes (PSB). Ciro, que seria o candidato do PSB à Presidência, foi vetado pela sigla em prol da aliança com o PT.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

19 Julho 2010 | 20h47

"Esse partido pelejou por uma candidatura própria de um homem honrado como a senhora é honrada, de um homem digno como a senhora é digna, de um grande quadro, que foi leal e correto com o governo Lula nos momentos bons e difíceis desse governo", discursou Campos. Ciro foi ministro da Integração Nacional no primeiro mandato de Lula e conduziu a primeira etapa das obras de transposição do Rio São Francisco.

Campos justificou a opção do PSB pelo apoio à candidatura de Dilma com o argumento de que o partido não poderia deixar que se interrompesse o processo de mudanças do governo Lula. "Estamos na sua campanha porque a sua história é a do PSB", complementou o socialista, salientando que a militância do partido estará à disposição de Dilma em todos os Estados que ela visitar. E destacou que, mesmo nos Estados onde Dilma tiver dois palanques, um do PSB e outro de partidos governistas, os candidatos da sigla não vão impor constrangimentos à petista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.